top of page
Site 1_edited.jpg

Minicursos

Somente serão aprovados Minicursos com 20 ou mais inscritos, assim no momento da inscrição é fundamental indicar três opções de Minicursos.

RELAÇÃO DE MINICURSOS

MINICURSO 1

 

HISTÓRIA, GÊNERO E INTERSECCIONALIDADES: UM OLHAR A PARTIR DO MUNDO DO TRABALHO, DA COLONIALIDADE E DO AVANÇO DO NEOLIBERALISMO (8 HORAS)

 

Professora Dra. Cristina Donza Cancela. Universidade Federal do Pará (UFPA-Campus Belém)

 

Pontuar e discutir o conceito de gênero evidenciando seu potencial e seus limites a partir da teoria queer. Analisar o potencial da perspectiva interseccional para pensar os marcadores sociais da diferença e de articulação de forma contextualizada em meio às relações assimétricas de poder, em busca de um feminismo plural. Discutir a perspectiva de gênero e de interseccionalidade no mundo do trabalho, observando as relações de classe, raça, sexualidade e colonialidade, evidenciando como os corpos são racializados e sexualizados a partir de representações e práticas coloniais. Por fim, problematizar o potencial da história, da perspectiva de gênero, da teoria queer e da interseccionalidade para compreender o avanço do neoliberalismo, das ideologias conservadoras e dos ataques às democracias e aos territórios.

 

MINICURSO 02 

 

LEITURA E ESCRITA COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO

DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA (8 HORAS)

 

Professor Dr. Tiese Teixeira Júnior. Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA-Marabá)

 

Refletir sobre os desafios de ensinar história para estudantes da educação básica que possuem níveis baixos de letramento na linguagem própria da história. Apresentar alternativas de trabalho docente com práticas de leitura e de escrita nas aulas de história. Problematizar a formação do professor de história para a educação básica. As relações com o saber na aula de história da escola básica; a importância do assenhoramento da palavra na sala de aula; leitura pública na aula de história; escrita de si e reescrita de textos didáticos; estratégias de ensino de história com foco na oralidade que possibilitam uma aproximação afetiva do conhecimento histórico escolar; as possibilidades de trabalho interdisciplinar entre a história escolar e a língua Portuguesa.

 

 

 

MINICURSO 03 

 

MEMÓRIA, HISTÓRIA ORAL E MEIO AMBIENTE NA AMAZÔNIA (8 HORAS)

 

Professor Dr. Marcos Montysuma. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC-Florianópolis)

Professor Dr. Airton dos Reis Pereira. Universidade do Estado do Pará (UEPA-Marabá)

 

O Minicurso tem por finalidade discutir facetas relativas à memória, como fundamentação teórica e como fonte, aplicada à metodologia da história oral, numa perspectiva dos trabalhos de pesquisa, que envolvem as questões com ralação ao meio ambiente, mais detidamente na Amazônia brasileira, abrangendo a miríade de povos e culturas, que a constituem. Para tal fim abordaremos num primeiro momento a memória e subjetividade como um problema antigo, mas que já foram esclarecidos – se num primeiro momento memória e subjetividade atrapalham a narrativa história, na atualidade são problemas superados. Na fundamentação teórica discutimos a memória subjetiva, como constituinte do sujeito que fala - não que a formulação fosse pensada para seus usos na história oral, mas para ler e explicar a sociedade. E nos apropriamos aqui de seus fundamentos para compreender as narrativas que produzimos no campo da história oral. Por outro lado, quando trabalhamos com a chamada memória coletiva, temos em mente a possibilidade de compreender determinados fenômenos sociais, que extrapolam a subjetividade e, portanto, a vontade do sujeito que narra. Distinguir memória, pelo menos sob as duas formulações apontadas é essencial, para que não venhamos a cair em armadilhas quando falamos em memória, no campo da história oral e até mesmo da história, como campo mais amplo da escrita da história. Serão abordadas facetas destacando as situações relativas às interações culturais dos povos no ambiente amazônico – a resistência ao agronegócio e aos projetos desenvolvimentistas, em defesa das áreas habitadas e de interação cultural dos seus povos. Tudo ocorre destacado como resultado do desenvolvimento de projetos de pesquisa que trabalham com a metodologia da história oral.

 

 

MINICURSO 04

 ENSINO DE HISTÓRIA DAS ÁFRICAS E DA DIÁSPORA NO ENSINO

SUPERIOR E NA EDUCAÇÃO BÁSICA NO PARÁ (8 HORAS)

 

Professora Dra. Karla Leandro Rascke - Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA-Marabá)

Professora Maria Raimunda Santana Fonte - SEDUC-PA

A presente proposta traz reflexões a respeito da formação existente sobre História da África e da Diáspora e os conteúdos/conhecimentos relativos a esse componente curricular oferecidos nos cursos de formação em ensino superior de licenciatura em História das universidades públicas do Pará, ao passo que também analisa experiências de implementação da Lei Federal 10.639/03 nas redes oficiais de ensino. As proponentes utilizarão de documentação (legislações, normativas, dados oficiais) e de experiências de pesquisa no estado, em especial no Sul e Sudeste do Pará para discutir a formação e a educação básica. As reflexões permitem apontar avanços e desafios quanto ao ensino de História nessas temáticas que demandam repensar e reelaborar os currículos.

.

 

MINICURSO 05 

 

HISTÓRIA AMBIENTAL: PESQUISA E ENSINO (8 HORAS)

 

Professor David Durval Jesus Vieira. Instituto Federal do Pará (IFPA-Paraupebas)

Professora Aline Barros dos Reis. SEMED-Marabá

O minicurso pretende apresentar a linha de pesquisa de História Ambiental, contextualizando o seu surgimento, traçando a sua definição, apontando alguns de seus principais objetivos e bases teóricas. Além disso, haverá espaço para discutir algumas das suas metodologias e principais produções acadêmicas. Em seguida, daremos destaque para possibilidades de abordagem do assunto na educação básica.

 

 

MINICURSO 06

 

OS USOS DOS JORNAIS: POLÍTICA E GÊNERO NA IMPRENSA PARAENSE

NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX (8 HORAS)

 

Professora Bárbara Leal Rodrigues. Universidade Federal do Pará (UFPA)

Professor Marcos Bezerra Lima. Universidade Federal do Pará (UFPA)

 

A proposta deste minicurso consiste em discutir as relações entre política, gênero e meios de comunicação paraenses na primeira metade do século XX. A partir disso, busca-se interagir metodologicamente com as pesquisas dos participantes/ouvintes deste minicurso, considerando os três eixos centrais propostos. Assim sendo, abrange-se a diversidade dos meios de comunicação e seus usos diante de abordagens historiográficas. Por conseguinte, analisam-se os principais momentos políticos a partir da categoria de gênero, oferecendo destaque ao papel da imprensa nesses períodos. Observando os variados cursos políticos concretizados localmente desde a instituição da República, perpassando pelas hegemonias de Antonio Lemos e Lauro Sodré, até os governos de Magalhães Barata e José Malcher, durante a Era Vargas no Pará. Assim, há em perspectiva analítica o uso da imprensa como objeto e fonte de pesquisa, considerando seus papéis políticos e relações com forças partidárias, por exemplo, o periódico Folha do Norte (1896-1972) que ao longo de sua existência estabeleceu variados vínculos com grupos políticos, iniciando sua trajetória ao lado das forças lauristas, transitando entre situação e oposição ao longo do período proposto. De tal modo, compreende-se a imprensa como protagonista político, exercendo influência diante de conjunturas sociais, a partir da atuação de seus diretores/proprietários, linha ideológica efetivada por seus redatores e articulistas, além de sua dinâmica mercadológica. Nessas conjunturas, em momentos de disputas políticas, as mulheres protagonizaram intensas movimentações a favor dos seus candidatos e dos seus ideais, onde a imprensa constituiu-se como um espaço de disputa de poder em torno das representações de gênero. Sinalizam-se as atuações das Ligas Femininas Lauro Sodré e Arthur Lemos (1912), do Departamento Paraense pelo Progresso Feminino (1931), da Concentração Feminina do Trabalho (1931) e da Legião Feminina Magalhães Barata (1935). Tais grupos caracterizam as variadas formas de atuação política feminina e feminista, nas mobilizações públicas em torno dos seus objetivos, eleitorais e/ou na aquisição de direitos. Desta forma, notam-se as intrínsecas interações entre partidos políticos, imprensa e grupos femininos; além disso, destacam-se outras formas de participação das mulheres nos meios de comunicação, com viés social, religioso e artístico. Por fim, o minicurso apresenta-se como um espaço de discussão a partir das categorias de gênero, de política e de imprensa, considerando as especificidades locais e sua importância historiográfica.

 

 

 

MINICURSO 07

HISTÓRIA E QUADRINHOS: CONTRIBUIÇÕES

AO ENSINO E À PESQUISA (8 HORAS)

 

Professor Márcio dos Santos Rodrigues. Universidade Federal do Pará (UFPA)

 

O minicurso tem como objetivo apresentar os pressupostos teórico-metodológicos para a utilização das histórias em quadrinhos (ou, simplesmente, HQs) como fonte documental, no sentido de ampliar o universo da pesquisa acadêmica e da construção do conhecimento histórico no âmbito escolar. Busca-se oferecer instrumentais para que professores, pesquisadores e/ou demais interessados analisem as HQs como uma evidência e correlacionem aspectos estéticos às particularidades históricas de produções quadrinísticas. Para tanto, essa manifestação da cultura visual será tomada aqui não somente como suporte de ideias e valores, mas como prática cultural e/ou resultado de um terreno de disputa e negociação em torno de questões socialmente vivas, pertencentes a determinados contextos socioculturais. No minicurso dedicamos espaço para discutir algumas temáticas específicas demonstrando a aplicabilidade dos quadrinhos como objeto de análise histórica. Ao abordar as HQs como fonte documental, o minicurso enfatiza a necessidade de reconhecer narrativas gráficas como produtos intrínsecos de seus tempos e espaços, refletindo sobre as condições sociais, políticas e culturais do período em que foram produzidas. Isso implica uma análise que vai além do conteúdo manifestamente apresentado nas páginas dos quadrinhos. Discute-se também como essas obras podem servir, em maior ou menor grau, como comentários sobre questões socialmente relevantes. Nossa intenção é ampliar as perspectivas metodológicas de investigação, permitindo uma análise mais contextualizada das dinâmicas sociais e culturais por meio de um objeto pouco ou nada convencional na historiografia tradicional. Esperamos, deste modo, compreender as relações existentes entre os quadrinhos, com sua linguagem própria, sua narrativa, e o campo da pesquisa e do ensino de História. O minicurso será dividido em duas partes distintas, porém complementares: a primeira, “Contribuições para a pesquisa”, e a segunda, “Contribuições para o ensino”. A escolha de trabalhar tanto com módulos voltados para a pesquisa quanto com módulos relativos ao uso dos quadrinhos como objeto de ensino baseia-se na convicção de que um verdadeiro exercício de ensino é, acima de tudo, precedido pela articulação de procedimentos de pesquisa, e que um dos objetivos da pesquisa universitária é, sem dúvida, sua difusão e aplicabilidade. Espera-se também contribuir para motivar o uso dos quadrinhos não apenas como material de apoio, mas como parte integrante do processo educativo que estimula o pensamento crítico e a análise histórica.

 

 

MINICURSO 08

 

INTRODUÇÃO À HISTÓRIA AMBIENTAL DA AMAZÔNIA (8 HORAS)

 

Professor Dr. Alexandre Rodrigues da Silva Nunes. Instituto Federal do Amapá (IFPA-Macapá)

 

Os grupos humanos contemporâneos estão a conviver com os impactos ambientais diversos resultados dos sistemas de produção industrial e dos modelos de consumo predominantes que caracterizam as sociedades modernas, ocorre que estes pressionam e degradam biomas e ecossistemas, somado a isso, o aumento das desigualdades e a concentração de riquezas afligem as populações pobres do Sul global e os povos oprimidos, subalternizados e marginalizados dos países industrializados que são os mais afetados por essa realidade que se configura por meio de perda de qualidade de vida em decorrência de eventos ambientais extremos cada vez mais frequentes. As produções em história ambiental nos permite contato com uma variedade de estudos que englobam de maneira geral os mais diversos aspectos de interação entre fatores ambientais e suas relações com os grupos humanos ao longo do tempo, sejam esses biológicos, minerais, hídricos e energéticos, ao mesmo tempo que nos possibilita compreender as experiências atuais decorrentes das mudanças climáticas provocadas pelo aquecimento global e a necessidade de mudanças de postura com vias aos  usos sustentáveis dos elementos da natureza que de maneira abstrata e genérica são denominados “recursos naturais”. A Amazônia chama atenção, por ser considerada, região caracterizada pela marcante presença da cobertura vegetal, complexa hidrografia e biodiversidade, porém, essa compreensão pode assumir um caráter reducionista, posto, que biomas e ecossistemas compõem cada uma das partes do planeta. A história ambiental da Amazônia vem sendo construída sob um mosaico e não tem como ser diferente, posto que, a diversidade social e cultural interage com a ambiental e permeia a história regional, seja nos seus centros urbanos, seja nas comunidades tradicionais que existem e resistem ocupando espaços múltiplos. Assim sendo, esse minicurso pretende fazer um breve debate acerca da produção historiográfica regional, nacional e estrangeira considerando o que vem sendo introduzido e produzido nos programas de pós-graduação de História relacionados à história ambiental da Amazônia. Vamos nos valer de aulas expositivas que vão contar com a colaboração das experiências de pesquisas que desenvolvi no campo da história ambiental e educação ambiental, junto disso, incentivar a participação dos ouvintes para que se sintam à vontade para trazer seus conhecimentos e possibilidades de pesquisas diversas nesses campos. O contato com a historiografia da região e trabalhos de outras instituições nacionais e estrangeiras, a possibilidade de conhecer pesquisas concluídas e em andamento, bem como, o incentivo ao desenvolvimento de pesquisas na área estão entre os possíveis espólios desse minicurso.

Realização:

anpuh-logohorizalta-PARÁ.png
MARCA FHIST.png

Apoio:

UNIFESSPA.png
Ufpa.png
ifpa.png
icon-profhist.png
PPGHIST-sigla.png
photo-removebg-preview.png
bottom of page